Há novos Empregos; são menos de Metade da Emigração

NovosEmpregosEmigração2013e2012A população desempregada diminuíu 96,5 mil pessoas entre os últimos trimestres de 2013 e de 2012, revela o Inquérito de Emprego do INE. Esta diminuição  distribui-se entre 29,7 mil novos empregos e 66,8 mil saídas da população ativa, a maior parte das quais terá tido por destino a emigração para o estrangeiro. Os resultados estão no gráfico acima.

A criação de emprego é uma boa notícia, mas o número de empregos criados é muito baixo: se se mantivesse no futuro, a economia portuguesa seria reduzida a dois terços da atual.

A qualidade dos empregos criados é pouco animadora: diminuem (agricultura, pesca) 52,8 mil no setor primário, diminuem 27,3 mil no setor secundário (indústria, construção, energia e água) e aumentam 109,7 mil nos serviços. O INE  infelizmente não discrimina entre os sserviços mercantis, que aumentam as exportações, e os serviços sociais, que não as aumentam.  Por isso, é lícito recear que o aumento de emprego tenha sido obtido em larga medida graças ao mercado interno e à despesa pública.

Anúncios

Os comentários estão fechados.