FMI na 10ª Avaliação: A Operação foi um êxito, o doente piorou

UnitLaborCostPt2013Nova subida dos custos unitários salariais

O FMI abandonou a sua fantasia de há três anos que vamos voltar a enriquecer: temos que nos habituar a «um novo normal», extraordinário eufemismo que significa que o consumo privado nunca mais será o que era. A sua apreciação da execução do programa troikista, na décima avaliação, ontem divulgada, é um modelo de oportunismo político disfarçado de tecnicidade económica. Com efeito, para o banco internacional de Nova Iorque, o desempenho foi excelente, mas tudo correu mal.

Claro que os défices orçamental e da balança de pagamentos diminuiram ambos mas o relatório sublinha que estas melhorias são insustentáveis, embora nunca extraia estas conclusões, por razões que O Economista Português supõe serem eleitorais. Assim:

  •  Para já correu mal o crescimento económico: não temos a prometida recuperação, mas uma uma mais pequenina;
  • Futuras baixas de impostos só se não comprometerem a meta para o défice;
  • Os preços dos bens não transacionáveis (os que escapam à concorrência) continuam a subir; o Fundo salienta a energia e os portos; neste último caso, o governo prometeu reduzir a fatura portuária num mínimo de 25% e reduziu-a em 2%;
  • As PPP foram renegociadas tarde e pouco;
  • Falhou a recuperação financeira das empresas portuguesas, que continuam as mais endividadas da União Europeia; o PER (Processo Especial de Revitalização) e o SIREVE (Sistema de Recuperação de Empresas por Via Extrajudicial) estão sem procura que se veja;
  • Os custos unitários salariais continuam a subir e não  é só por causa do Tribunal Constitucional; sem eles baixarem, as exportações têm pouco futuro;
  • As exportações teriam estagnado não fora a venda ao estrangeiro daquele produto tipicamente português, o petróleo refinado;
  • Só falta dizer: correu bem o corte dos vencimentos da função função pública e das pensões dos reformados, assim como o aumento de impostos.

Como dizia o general médico alemão no teatro cirúrgico instalado em plena campanha da Rússia, depois da seleta assistência convidada ter visto o militar por ele operado bater a bota: «a operação foi um êxito, o doente não esteve à altura».

*

O relatório do FMI  está disponível no endereço abaixo

http://www.imf.org/external/pubs/ft/scr/2014/cr1456.pdf

Anúncios

Os comentários estão fechados.