As duas Linguagens dos nossos Credores

JoãoQueChoraOs nossos credores usam duas linguagens: uma é otimista, o programa da troika resultou; a outra é pessimista: os portugueses têm que passar por mais austeridade.

Ontem tivemos mais um exemplo disso. Falando no debate do Parlamento de Estrasburgo sobre os programas de troika. o sr comissártio Olli Rehn garantiu-nos: «O ajustamento foi doloroso, mas os resultados económicos já são visíveis». Foi o João que Ri.

Ontem também, Poul Thomsendirector adjunto do departamento europeu do Fundo Monetário Internacional (FMI) disse sobre as nossas finanças: «um terço do ajustamento ainda precisa de ser feito», Rejeitou baixas de impostos e levantou nova meta recessiva: a redução do endividamento privado. É o João que Chora.

A técnica lembra também os interrogatórios policiais: o polícia mau alterna com o polícia bom para quebrar a vontado do suspeito. Desta vez, o suspeito é o leitor.

O Economista Português anota que o Parlamento de Estrasburgo votará hoje o relatório sobre os programas da troika. Esse relatório lamenta os danos colaterais mas considera a austeridade inevitável. Será que o PS o aprovará, depois de ter anunciado que quer renegociar a dívida?

 

Anúncios

Os comentários estão fechados.