Eleições europeias: o Situacionismo foi o Vencedor do Debate Juncker-Schulz

JunckereMartinsSchultzO socialista Schulz e o popular Juncker: dois «contentinhos»

Os dois principais candidatos às eleições para o  Parlamento Europeu, Jean-Claude Juncker, pelo PPE, e Martin Schulz, pelo PSE, os sociais-democratas e socialistas, discutiram a política para a União Europeia num primeiro debate, organizado pela cadeia de televisão francesa France 24. Debateram é maneira de dizer:  o que ressaltou foi o acordo entre a direita e a esquerda oficiais sobre o tema central da consolidação financeira. Schulz quer um pouco mais de crescimento económico, ao que Juncker não se opõe, embora dê prioridade à consolidação orçamental. Ambos divergem na origem da crise da dívida mas essas divergências não os levam a defender políticas económicas opostas. O que não é surpresa: basta atentarmos no atual governo alemão, que resulta da alliança entre as duas internacionais,  o PPE e o PSE.

O mais chocante no debate é a ausência de ambição: quando a União Europeia perde velocidade no concerto internacional, quando dia a dia se isola do resto do mundo, quando o perigoso conflito na Ucrânia mostra a imaturidade da sua diplomacia, ambos surgiram sem energia, nem generosidade, nem propostas inovadoras. Dois «contentinhos», para usar o precioso adjetivo inventado por António Alçada Baptista. PPE e PSE estão empatados nas sondagens e é duvidoso que o debate tenha contribuído para dar vantagem a um deles: foi a vitória do situacionismo sobre a esperança.

Anúncios

Os comentários estão fechados.