Portugal à Margem da Robotização industrial

RobotsPorDezMilAssalariadosFonte: http://techenglish.wordpress.com/statistics-on-robots/  que cita http://www.worldrobotics.org/index.php

Os robots desceram à Terra quando o ano passado o Google  comprou empresas que os produziam: o Google não se dedica à ficção científica, é a líder mundial em Inteligência Artificial e em utilização da computadores para tratamento em massa de informação. Portugal não reparou na revolução robótica: usamo-los umas quatro vezes menos que os nossos vizinhos espanhóis e em termos mundiais estamos na cauda da sua utilização industrial.

A diferença é explicável em parte pelo peso da indústria automóvel, que continua a ser o ramo que mais robots usa por mil trabalhadores.  O que significa que a indústria automóvel portuguesa usa menos robots do que as suas congéneres.

A movimentação da Google revela que os robots  acelerarão a sua expansão pelos outros ramos da indústria  transformadora e dos serviços, nomeadamente os de acompanhamento da terceira idade.  O aumento da venda de robots depois da crise de 2008 sugere que eles são uma das bases da economia do futuro. Esse aumento está documentado no gráfico seguinte.

RobotsVendasFonte – http://www.ifr.org/industrial-robots/statistics/

Neste contexto modernizador o nosso debate sobre o salário mínimo é ainda mais penoso pois evidencia que corremos para o passado.

*

The Economist acaba de publicar uma reportagem sobre robots; parte dela está em

http://www.economist.com/news/special-report/21599522-robots-offer-unique-insight-what-people-want-technology-makes-their

Anúncios

Os comentários estão fechados.