Conhecendo os nossos Amigos

MarcRuttePassosCoelhoMarc Rutte com o seu amigo e camarada de Partido Europeu Passos Coelho

É sempre bom conhecermos os nossos amigos. O Economista Português estuda hoje os nossos amigos holandeses. O Sr. Jeroen Dijsselbloem, ministro das Finanças dos Países Baixos e presidente do Eurogrupo, felicitou ontem Portugal pela saída limpa e avisou continuarmos a ter obrigações; «não se pode gastar dinheiro que não se tem», concluiu. É bom termos um credor amigo sem papas na língua.

O Sr. Marc Rutte, chefe do governo do Sr. Dijsselbloem, também não tem papas na língua; foi a semana passada acusado pelo diário De Volkskrant de ter ameaçado sair do Euro se fosse aprovado o plano do presidente Van Rompuey de estabelecer contratos vinculativos entre osEstados, pelos quais seriasm financiados a troco de se comprometeremm com metas orçamentais. Tais contratos  transformariam o Euro numa «união de transferências», expressão de índole demonizante usada pelos nossos credores para designar a subsidiação dos países pobres do Euro pelos países ricos do Euro. Anotemos que essa subsidiação é inerente a qualquer zona monetária ótima. O Sr. Rutte desmentiu a ameaça mas não desmentiu a sua guerra de morte à chamada «união de transferências». Isto é: à solidariedade financeira com Portugal.

O Economista Português rejubila ao sentir o calor da solidariedade financeira dos nossos colegas de continente.

*

Fonte: http://www.eurointelligence.com/

Anúncios

Os comentários estão fechados.