Solidariedade Europeia Capítulo 23: Imigração exterior

Com a chegada da primavera, aumentam os mortos por afogamento nas costas da União Europeia (UE), em particular em Lampedusa – a rota preferida dos imigrantes, por ser a mais curta entre a África e a Europa.  Como o gráfico abaixo mostra, a maioria dos candidatos a imigrantes, sobreviventes ou mortos, são oriundos de África. Apesar de, sempre na sua política de acendrado amor pela paz, a UE ter atiçado a guerra civil na Síria, os imigrantes provenientes deste país continuam a ser em número inferior aos de África – pelo menos os que são apanhados. Queira ver o mapa abaixo.

UEImigraçaoWSJFonte: Wall Street Journal

A maior parte dos imigrantes querem ir (e vão) para os países ricos, os nossos credores. Muitos destes imigrantes são oriundos da Rússia e de outros países da Europa de Leste. Segundo as regras da Uniãoo europeia, o primeiro pais da UE, onde os imigrantes aportam, deve recebê-los ou rejeitá-los. No caso dos imigrantes do sul, esses países estão no Balcãs ou em Itália. A Itália já protestou publicamente contra esta política e por duas vezes começou a boicotá-la, dando títulos de viagem aos imigrantes ilegais. Os países do norte da Europa consideram que o fardo está bem distribuído entre os Estados-membros, pois são eles o destino final da maioria dos imigrantes. O gráfico seguinte mostra os países de destino dos imigrantes na UE.

UEPedidosdeAsiloLesEchosFonte: Les Ech0s

A Espanha, e sobretudo Portugal, têm sido «esquecidos» por estas correntes migratórias, que em larga medida lhes passam ao largo. A campanha eleitoral para as eleições do Parlamento Europeu,  conduzida com a seriedade e profundidade que todos lhe conhecemos, não deixará por certo de abordar este problema.

Anúncios

Os comentários estão fechados.