Cortesãs e Alucinogéneos entram no PIB

ProstitudaDrogandoseUma nova contribuição para o crescimento do PIB

Prostituição, comércio de droga e contrabando passam a entrar no cálculo do PIB por obra e graça do novo Sistema Europeu de Contas (SEC2010). O PIB aumentará 0,4%, declarou ontem o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O INE já nele incluía a chamada ‘economia não observada’, compreendendo actividades não declaradas (ilegais ou legais), cerca de 13% do PIB. Mas  só 0,4% para a prostituição, a  droga e o contrabando? Nunca ninguém supôs que tanto vicio português implicasse tão pouca despesa.

Embora também revele uma mudança nos costumes, no sentido da tolerância da prostituição e da droga, a inclusão tem razões políticas, pois os governos da União Europeia (UE) querem todos aumentar o PIB na secretaria enquanto ele diminui no bolsos dos cidadãos. A partir de agora, o conceito de PIB ficará mais desacreditado: não tanto por razões morais mas por se exibir o seu caráter discricionário. Já Pigou, o economista que lançou a economia do bem-estar, ensinava: se um homem casa com a sua cozinheira, diminui o rendimento nacional.  Porque deixava de lhe pagar salário e o rendimento nacional era a soma de salários, lucros, juros e rendas. Agora, graças às hetairas e aos drogados ficaremos putativamente mais ricos.

Os comentários estão fechados.