Prostituição, droga e contrabando causam bulha entre o Eurostat e o INE

DrogasDigaNãoA imprensa de quarta-feira passada, 11 de junho, publicava declarações de responsáveis do Instituto Nacional de Estatística (INE) informando que a prostituição, a droga e o contrabando, devido a um novo Sistema Europeu de Contas (SEC2010), passava a incluir no PIB  com a consequência de aumentar o dito PIB. Dados os efeitos da mudança na variação do PIB, esta bulha resultará de ações partidárias? O Economista Português comentou essas declarações, quinta feira passada.

No dia de Santo António, a imprensa publicou um desmentido do Eurostat: não havia novidade na inclusão no PIB  da prostituição, a droga e o contrabando;    a única novidade seria «um acordo “entre os Estados-membros para afinarem o modo de incluir esta informação nos dados nacionais do PIB, para assegurar maior consistência e coerência».

Será a esta novidade que o INE queria referir-se, sem o conseguir, por infelicidade sua ou lapso dos jornalistas? Ou o Eurostat, pro domo sua, subestima o alcance deste acordo? O Economista Português gostaria de saber a verdade – para evitar o descrédito das estatísticas económicas oficiais.

Os comentários estão fechados.