Parlamento Europeu: Qual a sua Fórmula política, Sr. Schultz?

MartinsSchulz2014Vae victis real ou imaginário para o Dr. Ricardo Salgado, Vitória aos Derrotados real, para o Dr. Martin Schultz (na foto acima)

Quando o Conselho Europeu resolveu propor o Sr. Juncker para presidente da Comissão de Bruxelas, fomos bombardeados com a propaganda do Partido Popular Europeu (PPE, democratas cristãos arrependidos ou em vias de arrependimento): tínhamos dito que o proporíamos se ganhássemos. O PPE obteve uns 5% dos votos dos cidadãos com carta de condução de ligeiros e declarou-se vencedor. Sinceros parabéns pelo bragadoccio. Dias depois, ontem para maior precisão, foi-nos anunciado que  tinha sido eleito presidente do Parlamento Europeu o Sr. Schultz que era o chefe de lista dos S&D (socialistas e democratas), que perderam aquelas eleições.  Foi-nos mesmo anunciado que fora eleito com maioria. O PPE vendedor também votou nele. O ALDE (liberais e anexos), outro derrotado, também o sufragou. Assim se produz um vencedor amado pelo povo eleitor, escreveria B. B. (Bertold Brecht, claro).  Alguém nos fez a promessa eleitoral  que o candidato derrotado, no caso o Sr. Schultz, seria eleito pelo Parlamento europeu ? Alguém nos informou antes das eleições europeias que o PPE e os socialistas e democratas sortidos tinham assinado um acordo pré-eleitoral de distribuição de lugares? Ou conservadores e socialistas só acordaram em distribuir os lugares depois de conhecerem os resultados eleitorais? Isto e: depois de conhecerem os resultados que, dizem, nos tinham prometido respeitar? Ou disseram-nos que se ganhasse o partido A os lugares seriam distribuídos da maneira x e se hanhasse o B da maneira y, confundido eleições democráticas por sufrágio mais ou menos universal com um jogo de azar? Se ainda andasse por aí o Sr. Gaetano Mosca teria mosqueado: qual é a sua fórmula política, Herr Schultz?

Os mapas seguintes são um pouco confusos, pois confusa é a geografia política da União Europeia, mas mostram a força de cada Estado membro  nos dois maiores grupos parlamentares em Bruxelas-Estrasburgo. (Se clicar no mapa, passam de confusos a lamentaveis) Os países Golias dispõem de maioria relativa, face a uma face aos Liliputes na periferia do sistema, menos influentes em Bruxelas-Estrasburgo do que os deputados de Bragança ou de Portalegre em S. Bento.

Primeiro o PPE.

FigaroParlamentoEuropeuPPE

Agora os Socialistas e Democratas

FigaroParlamentoEuropeuPS

Para consultar mapas interativos referentes as outros grupos parlamentares da UE, queira ir ao endereços seguinte, do qual O Economista Português retirou os mapas acima

http://www.lefigaro.fr/international/2014/07/01/01003-20140701ARTFIG00257-europe-quels-pays-dominent-les-groupes-du-parlement.php

 

Os comentários estão fechados.