Caso BES: A Srª Merkel faz o Mal e a Caramunha

Merkel furiosa

Falando num comício partidário, a Chancelarina Merkel apontou a crise do BES, e os seus efeitos sistémicos, como exemplo da fraqueza da Eurozona, e serviu-se dela para combater a  Itália e a França, que defendem maior flexibilização do Tratado Orçamental.

A teoria da Srª Merkel está errada: os problemas do BES resultam da crise económica que leva muitos dos seus devedores a não conseguirem pagar-lhe. Se fossem emitidos mais euros, esses devedores pagar-lhe-iam com mais facilidade, pois a economia retomaria. Ora é precisamente a Alemanha da Srª Merkel que se opõe ao aumento do crédito, isto é, à criação de  mais euros. A flexibilização orçamental tem o mesmo efeito: se o Estado gasta mais, aumenta a procura.

Apresentando-nos como os macaquinhos da sua feira, a Srª Merkel perdeu uma excelente ocasião de estar calada. Mas, contra a sua vontade – é o preço da ignorância – ,  reconheceu duas teses constantes d’ O Economista Português:

  • O Euro é frágil e talvez não dure muito – pelo que devemos estabelecer a paridade a que pagaremos as dívidas financeiras depois de ele se extinguir;
  • Portugal goza de um poder negocial europeu que não tem sabido aproveitar.

Os comentários estão fechados.