PT: uma Angolana propõe-se defender o Interesse nacional português

IsabeldosSantosEngª Isabel dos Santos

A Engª Isabel dos Santos apresentou ontem uma oferta de compra da PT SGPS e legitimou-a sua invocando a defesa do interesse nacional português. Descontada a ironia da situação – a ofertante é uma ilustre angolana –, se a sua oferta tiver êxito, ficará provado que a estratégia empresarial da PR pré-Rioforte tinha sentido.

Haverá na realidade uma oferta substantiva, ou procurar-se-à ganhar tempo para negociar fronteiras telefónicas em Portugal, Angola e/ou Brasil? A Engª Isabel dos Santos é sócia de uma empresa de telecomunicações portuguesa, a NOS, o que tornará a proposta de duvidosa viabilização face à concorrência.

Por outro lado, ao passo que a Altice oferece 7,025 mil milhões de euros para a compra dos ativos PT fora de África, a proposta de I. dos Santos é de 1,2 mil milhões, e presume-se que inclua as dívidas. Esta segunda proposta não parece produzida para facilitar a comparação com a primeira e no momento de fecho d’ O Economista Português não foram disponibilizadas comparações entre as duas propostas. Nos pressupostos anteriores, a oferta angolana só será financeiramente melhor do que a da Altice se as dívidas tóxicas da PT forem superiores a 5,825 mil milhões de euros. O preço por ação desta segunda oferta é superior à cotação da PT nos últimos dias mas inferior à anterior à crise BES-Rioforte.

Nas próximas horas serão por certo prestados esclarecimentos pelos diferentes concorrentes e seus aliados.

Os comentários estão fechados.