Investigação&Desenvolvimento: as nossas Empresas mais próximas da Roménia do que da Média da União Europeia

IeDporativo2013Fontes: I&D: http://epp.eurostat.ec.europa.eu/cache/ITY_PUBLIC/9-17112014-BP/EN/9-17112014-BP-EN.PDF; População ativa: http://ec,europa,eu/economy_finance/ameco/user/serie/ResultSerie,cfm. Nota: a População ativa inclui os funcionários públicos.

As empresas portugueses gastam em Investigação & Desenvolvimento (I&D) menos de metade da média da União Europeia (UE) e quase quatro vezes menos do que a Suécia, a economia de topo. É o que mostra o gráfico acima. Excluímos o Luxemburgo, que gasta quase o dobro da Suécia e ocupa uma posição marginal, explicável pela sua dimensão.

Os países desenvolvidos gastam mais de 40 mil euros por ano e por ativo em I&D, quase o triplo de Portugal. Neste capítulo, em valor absoluto estamos mais próximos da Roménia, a lanterna vermelha, do que da média da UE – para não falarmos das economias desenvolvidas.

As despesas em I&D são um bom indicador do crescimento económico a longo prazo, ainda que não revelem uma relação forte com o crescimento no curto prazo. Para mais, como o Euro tem um câmbio demasiado alto para a nossa curva de produção, o único modo de nos ajustarmos é vendermos bens e serviços com mais tecnologia. Rapidamente e em força, antes que não haja ninguém para abrir a torneira da água.

Do  ponto de vista do I&D, é preocupante a situação do nosso país e das nossas empresas. O nosso governo não tem tomado medidas para inverter a situação.

Anúncios

Os comentários estão fechados.