Novo Bloco Central precede Entrevista económicamente nula de Passos Coelho

PassosCoelhoEAntóniocostaO mesmo combate: aumentar os impostos, tirar o PIB a uns e dar a outros

O Dr. Passos Coelho deu ontem uma entrevista à RTP 1 que, regorgitando de ideias sobre política penal, é nula em assuntos económicos e financeiros; não apresenta soluções novas para aumentar a produtividade da economia, o mito das «reformas de fundo» foi abandonado, volta a promessa aos nossos credores de aumentar os impostos sobre nós se for necessário para atingir a meta do défice; falência do Bes? «má gestão», a fiscalização foi primorosa porque foi a cargo do setor público em geral e de um moço do PSD, um «moço muito corajoso»; a PT de pântanas? o Governo nada tem a ver com isso, é do «setor privado» (má gestão e boa supervisão claro).

O Partido Socialista, para tornar a tarefa mais fácil a tática do Dr. Passos Coelho, resolveu abster-se na votação do Orçamento para 2015 que, como é unanimemente reconhecido, aumenta os impostos com o pretexto da ecologia – e por certo aumentará também o IRS, sem pretexto algum que não seja a imposição dos nossos credores. A abstenção é tanto mais surpreendente quanto o PS não se cansou de criticar o projeto de orçamento. Há uma certa lógica neste novo Bloco Central: não ter nenhuma ideia para aumentar a riqueza e ter muitas ideias para tirar a uns e dar a outros. O Dr. António Costa já tinha há dias tentado o Bloco Central com o Dr. Passos Coelho, numa aliança não revelada ao público para aumentar as pensões dos políticos. A ideia era uma injustiça social clamorosa e por isso uma inanidade. Falhou. Conseguirá o novo secretário geral do PS  levar avante esta nova tentativa de Bloco Central? O Dr. Passos Coelho apelou ontem para ela, como se ela não tivesse já renascido.

3 responses to “Novo Bloco Central precede Entrevista económicamente nula de Passos Coelho

  1. Não entendo.
    O que diz contraria o que foi noticiado!!!
    O PS Votou contra “Toda a oposição (PS, PCP, BE e Os Verdes) votou contra o documento”
    http://expresso.sapo.pt/psd-madeira-votou-contra-o-orcamento-do-estado-para-2015=f899720

  2. O Economista Português agradece o comentário. Quer o Jornal de Negócios quer o Diário Económico anunciaram a abstenção do Partido Socialista na votação na generalidade da proposta de Orçamento opara 2015. Seguem os links respetivos:
    http://www.jornaldenegocios.pt/economia/impostos/irs/reforma_do_irs/detalhe/ps_abstem_se_na_reforma_do_irs_e_dos_impostos_verdes.html
    ehttp://economico.sapo.pt/noticias/socialistas-abstemse-na-votacao-das-reformas-do-irs-e-dos-impostos-verdes_206948.html

  3. Obrigada. Não sabia que o PS se tinha abstido na proposta de lei da “reforma fiscal”, o que corrobora a análise que fez.
    Este ano o governo decidiu “inovar” e apresentar 2 propostas de lei: a do OGE 2015 (já votada na generalidade e especialidade) e a da chamada “reforma fiscal”, ambas para vigorarem em 2015