Berlim tranquilo perante a Perspetiva do Começo do Desmantelamento da Eurozona

EuroPartidoA Chancelarina Merkel deu-nos a saber por intermédio de Der Spiegel que a Grécia deverá abandonar o Euro caso eleja um governo do Siriza, o partido anti austeridade, porque não há apoios sem contrapartidas. É bom sabermos que a solidariedade europeia é um assunto de secos e molhados mas vale a pena sobretudo notar que Berlim mudou radicalmente a sua atitude desde a anterior crise grega e a portuguesa: onde havia solidariedade na ortodoxia financeira, passa a haver apenas ortodoxia; onde em termos analíticos receava a crise financeira sistémica, passa a recear o crescente nacionalismo do eleitorado alemão.

O Economista Português não tem a menor dúvida que qualquer país da Eurozona tem o direito de intervir na política interna dos outros Estados ,as não acredita que a União Europeia sobreviva à multiplicação de intervenções brutais e egoístas como esta.

O aviso aos gregos também nos é dirigido mas importa relevar que a imprensa francesa não tem dúvida que a avisada é a Grécia mas os atingidos são a França e a Itália, que conhecem a tentação de abrandar o rigor – e aos quais Berlim é incapaz de dirigir Diktate diretos.

Convém verificar como reagem hoje os mercados financeiros e cambial a esta tranquila previsão do começo do desmantelamento da eurozona.

Anúncios

Os comentários estão fechados.