A Eurozona em Véspera de novas Trapalhadas

EuroCâmbio2015jan5O Euro aproxima-se de um câmbio aceitável para Portugul – mas só aceitável se for duradouro, o que não será o caso

Ontem o euro desceu ao seu nível mais baixo face ao dólar nos últimos nove anos. Por recear as eleições gregas? Um pouco, mas o Siriza já não fala em sair do Euro e a grande maioria dos gregos recusa tal saída (é fácil compreender que não queiram integrar-se na Turquia ou na Síria). O bragadocio da Srª Merkel ao Spiegel foi para consumo interno, para tentar diluir o clima pré- weimariano em que a Germania se precipita. Convém não esquecer que a Srª Merkel foi uma das chefes da propaganda da Alemanha comunista, que se inspirava nos princípios leninistas: reviravoltas rápidas e sem problemas de consciência. Por se aproximar a depressão económica? É improvável e ilógico: depressão é contração da massa monetária e por isso subida do valor da moeda. O euro cai porque os mercados receiam o QE, o Quantitative Easin, que sexta feira passada  foi anunciado subrepticiamente pelo Sr. Draghi, o governado do Banco Central Europeu. QE é mais dinheiro e mais dinheiro é dinheiro mais barato (mais inflação interna e portanto inevitavelmente baixa do câmbio).

As bolsas de valores cairam ontem 6%. E esta queda não se deve ao receio do QE – que precisamente tem por função levar à subida das ações. Ora o que subiu foi o valor refúgio, a dívida alemã. Esta queda deve-se ao medo do Grexit.

A União Europeia e o mundo estão a entrar uma fase de guerra de movimentos e por isso convém ir atualizando os pontos de situação e as inerentes previsões.

Anúncios

Os comentários estão fechados.