Caso BES: o Parlamento submeter-se-á ao Diktat do Doutor Vítor Gaspar?

GasparHistóriaDoNaufrágio2Afinal o Doutor Vítor Gaspar conseguiu dar à costa, o navio continua sem rumo (reprodução parcial)

A comissão parlamentar de inquérito ao caso BES aceitou ontem que o depoimento do Doutor Vítor Gaspar fosse dispensado do contraditório e que se limitasse a um depoimento escrito. Para mais, o Doutor Gaspar resolveu voltar a alegrar os portugueses com o seu involuntário sentido do humor: declarou que, enquanto ministro das Finanças, nunca soube nada do caso BES.

Esta fantasia cómica deve ser averiguada (o ainda DDT emitiu vários gritos públicos de socorro, todos os meios financeiros conheciam a situação do BES,  e olhavam para o lado para a ignorarem), pois está no cerne da questão do BES: o Dr. Ricardo Salgado é um monstro, o governo e as entidades supostamente reguladoras uns sábios e uns santos, que por definição  têm razão mesmo quando erram, falham ou mentem).

Todos sabemos que no caso os políticos e os gestores políticos não foram sábios nem agiram bem: todos nos lembramos do célebre «ring fencing» do Dr. Carlos Costa, gerente do BdeP, que garantia a separação entre os negócios do BES, o  banco, e os do GES, o grupo.Todos nos lembramos das garantias dadas por altas figuras do Estado aos clientes do BES, que prejudicaram tantos portugueses que não só acreditavam no BES como no Estado.  Agiram bem? Não merecem inquérito independente? Enganaram-se ou mentiram deliberadamente? Porque mudaram de tática a meio do jogo? A comissão parlamentar tem a noção que é juiz e parte,  pois a sua maioria é a mesma maioria que nos governa e não conseguiu fiscalizar o BES?

A comissão parlamentar de inquérito ao caso BES serve para apurar alguma verdade, que não fosse já conhecida, ou destina-se a dar a mensagem (eleitoral e não só)  que o dito o Dr. Ricardo Salgado tem todas as responsabilidades e os políticos nenhumas? É uma comissão de inquérito ou uma máquina de branqueamento? O Bloco de Esquerda parece pensar isso: vai propor leis para pôr as coisas no são o que significa dar o inquérito por terminado. Os outros partidos, embora com mais tato, parecem navegar nas mesmas águas. Nunca foi tão claro que a linchagem do Dr. Ricardo Salgado serve sobretudo para ocultar as responsabilidades da classe política na pavorosa gestão político-administrativa do nosso mundo financeiro (BPP, BPN, BES, para só mencionarmos o mais farfalhudo).

O cheque em branco dado pela comissão ao Doutor Gaspar tem também que ver com a equidade dela no tratamento do caso: Gaspar é filho, Salgado enteado? Parece oficial. O Dr. Ricardo Salgado, se realmente violou a lei, deve ser punido – nos tribunais de Direito, com direito de  defesa, e não numa espécie de tribunal popular da Bulgária de Jivkov, que só dele difere em dois pontos: é amável e não dispõe de campos de concentração nem de cadeias privativas.

 

 

Anúncios

Os comentários estão fechados.