Eurozona e Grécia: a Fase do Folhetim venezuelano

Sexta-feira passada os ministros do Eurogrupo reuniram  e atacaram o colega grego, o Sr. Varoufakis As razões do ataque são conhecidas: a lista de reformas prometidas é tida por insuficiente. Atenas não a muda, apesar ou por causa de em maio ter que desembolsar quantias avultadas. Os sensatos e introvertidos credores perderam a tramontana com os gregos temperamentais mas agora introvertidos. O presidente do Eurogrupo telefonou ao primeiro ministro grego, o Sr. Tsipras para lhe dar uma satisfação. O Sr. Schäuble já tinha dito que a Grécia ficará sempre no Euro, quer pague quer não pague. É um episódio do folhetim venezuelano.

TelenovelaVenezuelaGravidezPorEnganoSerá um telefonema por engano? O Financial Times, apesar da absorvente e stressante campanha eleitoral britânica, encontrou hoje tempo e paciência para mais um episódio venezuelano na saga grega:

GréciaFT215abr26Não, não era uma satisfação. O telefonema do Sr. Dijsselbloem era uma intriga contra o Varoufakis mau para valorizar o Tsipras bom. É a velha história do pide mau e do pide bom, aplicada agora à alta finança. A infantilidade da imprensa séria não conhece limites. O Economista Português  suspeita que o folhetim venezuelano esconde a subida das paradas no caso Grécia vs. Eurozona: ou a Grécia consegue o dinheiro que quer dos seus credores (e esta escalada mascarará a cedência aos pobres e causticados eleitores-credores) ou não consegue os financiamentos – e a escalada também serve para a rotura e por certo o começo do fim da Eurozona.

 

Os comentários estão fechados.