Juros negativos: «Vade retro, Satana»

GracosContra os juros negativos

Ontem, O Economista Português explicou a vantagem para alguns dos juros negativos, sob a forma de uma lição pública à Drª Cristina Casalinho, pois gostava de lhe resumir a teoria que lhe permitirá vender certificados de aforro aos portugueses. Terá havido quem tenha entendido que essa demonstração significava preferência pelos juros negativos. Vade retro, Satana.  Com efeito, foi apenas apontado um transitório benefício que eles teriam para nós,pobres devedores,  e sumariadas as suas bizarras e contemporâneas causas . Os juros negativos só são bons para os credores, que são sempre uma ínfima minoria de qualquer população; se dominando o Estado administram o dinheiro, tentarão revalorizar a moeda e ao mesmo tempo aumentar o juro. Mas, ao conseguirem recvvalorizzar a moeda, nem sempre conseguem que o juro seja negativo. Juro negativo é a opressão que leva à reforma dos Gracos contra os proprietários das terras em Roma, dolorosa matriz da nossa civilização político-social. Juros negativos são os anos 1930, isto é, a vitória do nazismo e a consolidação da Rússia estalinista, coroadas pela Segunda Guerra Mundial e o Holocausto. Se os juros negativos durarem muito, nós duraremos pouco.

Advertisements

Os comentários estão fechados.