Passos Coelho: «A Grécia escolherá»

PassosCoelgoComMerkel«Presente»

O Economista Português viu ontem o Dr. Passos Coelho na televisão dizendo: «a Grécia é livre de escolher» entre ficar e não ficar no Euro (ou frase semelhante). Estava com menos cabelo na moleirinha do que há quatro anos, de gato pingado, óculos de intelectual e voz com trémolo.

Esta frase é boa para Portugal ou é boa para os gregos? Coelho falava como chefe do governo português ou como putativo chefe do governo grego? Será isso que dirá em nosso abono na cimeira da União Europeia? A frase traduz apenas a incapacidade de afirmar algo de positivo a nosso favor e é uma tentativa de esconder os efeitos para nós  lamentáveis do seu apoio indiscriminado às posições da Srª Merkel. Para quê repetir que a Srª Merkel pode expulsar-nos do Euro dela quando entender?

Em Tempo  Seria maldade não explicar ao Dr. Passos Coelho o erro que ele cometeu nesta saga grega que hoje termina. Ele, que é devedor, defendeu a posição dos credores. Consequência?
Se a Grécia continuar no euro, ele perderá porque obteve piores condições do que a Grécia.
Se a Grécia não continuar no Euro, ele perderá porque Portugal passará a ser o elo fraco do Euro e, a ser assim, ele perderá as próximas eleições da mesma maneira que em 2010 as fez perder ao licenciado em engenharia Sócrates (o atual nº 44, nº alcançado graças às leis liberticidas aprovadas pelo Governo do então Engº Sócrates).

Em Tempo 2: a comunicação social está cheia de planos miríficos para salvar a Grécia (das maldades alemãs/União Europeia). O Economista Português  prefere só tratar de um problema de cada vez. Lá chegaremos, se o Euro começar já a dissolver-se.

Os comentários estão fechados.