Grécia: a Alemanha passa da Derrota à Vingança e perde

GréciaVotosdaEurozonaCinzentoHesitamEncarnadoqueremsaídaOutrosrejeitamsaídatodoopreçoOs países a encarnado querem  a expulsão da Grécia; a cinzento hesitam; a esmeralda rejeitam a saída a todo o preço. O gráfico é de ontem (corrigido às 18h04). Fonte:http://www.theguardian.com/business/2015/jul/12/eurozone-crisis-which-countries-are-for-or-against-grexit  

 A Alemanha quis vingar-se da Grécia. Cobrar dívidas passou a ser umm interesse secundário. Quer castigar a Grécia, não quer chegar a acordo. Esta motivação exclui qualquer análise em termos de racionalidade económica. Berlim não tem a força necessária para impor os seus ódios (embora seja duvidoso que a União Europeia lhes sobreviva sem uma metanóia). Com efeito, a França conseguiu uma coligação para evitar a expulsão grega mas não para evitar condições de tal modo duras que tornam menos provável a sua aceitação pela Grécia. Contudo O Economista Português continua a julgar ser maior a probabilidade de acordo.

GréciaJunckerOutrosAnsiososComTsiprasBasta olhar para o rosto do Sr. Juncker para vermos que os credores também estão preocupados quando ouvem o Sr. Tsipras

Fonte bem informada sugere que Tsipras se bate hoje por quatro pontos: do acordo: o FMI não participa; posição forte sobre a dívida; o Banco Central Europeu mantém a liquidez de emergência; recusa do fundo de 50 biliões de euros para garantir a dívida grega (aceitaria 17 biliões, diz-se). Ganhando estes pontos, ele assinaria o acordo e julga conseguir uma maioria para ele no Parlamento de Atenas.

De ontem para hoje, tudo podia ter acontecido: Tsipras chegar a acordo e demitir-se pois a direita deixa de o apoiar, como já anunciou; seria a terra queimada política, comparável à terra queimada física que o general russo Kutusov aplicou às tropas invasoras. Ou Tsipras chega a acordo e não se demite. Ou não chegar a acordo e não se demitir.Talvez a pressão da opinião pública europeia e mundial tenha soprado um vento de bom senso sobre a loucura e o desejo de vingança que se apoderaram da Alemanha.  Se a Grécia saisse do Euro, Hollande saiiria do Eliseu em breve e o candidato Marine Le Pen é o melhor para enfrentar a ameaça alemã.  Será que a Alemanha compreende o mal que causa a si mesma tentando expulsar a Grécia?

HelmutSchmidt                                                           Helmut Schmidt, o antigo chanceler alemão, dizia há anos que a Alemanha da Srª Merkel corria o risco de destruir os amigos que criara depois do falecimento do chanceler Adolf Hitler  e de se tornar de novo odienta para os seus vizinhos europeus. Schmidt está a acertar.

Ou será que o Sr. Hollande, compreendendo que tem a cabeça a prémio, impõe o seu veto – que bem poderia ser uma União Europeia sem a Alemanha? Estivemos a aproximarmo-nos de uma daquelas noites em que pode acontecer tudo ou nada. Ainda haverá UE amanhã? É provável, mas não certo.

4 responses to “Grécia: a Alemanha passa da Derrota à Vingança e perde

  1. A legenda do mapa deve ser corrigida, o significado das cores principais está trocado. Só o cinzento está certo, por isso é que ele é cinzento.

  2. Filipe Quintas

    Na figura 1, onde se lê “Os países a encarnado rejeitam a todo o preço a expulsão da Grécia”…”a esmeralda querem a saída”, não deveria constar Os países a encarnado desejam a todo o preço a expulsão da Grécia… a esmeralda rejeitam a todo o preço a expulsão da Grécia?

  3. A legenda não está incorrecta?
    Os países a encarnado (laranja) defendem o grexit e os que estão a azul defendem a manutenção da Grécia na Zona euro e na UE

  4. O Economista Português agradece as correções, que já incorporou no texto.