Automóvel elétrico português: 55% mais caro do que a Concorrência

Automóvel elétricoUm caso de polícia? O automóvel elétrico

O Diário de Notícias escreve que para o ano começará a produção industrial de primeiro automóvel elétrico português, o Veeco: três rodas, autonomia de 400 km, gasta um euro por 100 km (mas ignoramos o que é coberto por este euro) e custará 23 a 25 mil euros, incluindo baterias. Estão à venda veículos estrangeiros a partir de 15500 euros e deduz-se da notícia que prestam serviço comparável ao produto nacional; aquele valor não inclui baterias, que  nas marcas estrangeiras custam entre 50 e 80 euros mensais. Significa isto que o veículo português será 55% mais caro do que o estrangeiro comparável e mais barato. A diferença de preços, que aquele jornal nem refere, é de tal modo grande que, a ser exata, aconselha  que nunca se inicie a produção de tal veículo. O Economista Português não inclui no preço a mensalidade da bateria – pois o comprador também não a incluirá. Alguém acredita que alguém comprará o automóvel português, dada a diferença de preços? Contudo, a notícia parece o mais séria possível. Se quiser, leia-a, o link vai a seguir:
http://www.dn.pt/dinheiro/interior/primeiro_carro_eletrico_portugues_comeca_a_ser_produzido_em_2016_4841801.html

Os comentários estão fechados.