Depois do Governo P. Coelho, após o Carneiro com Batatas >>> Temos o 2º maior Défice orçamental da UE

UEDéfice2014Fonte: http://ec.europa.eu/eurostat/documents/2995521/7036737/2-21102015-AP-EN.pdf/

Portugal tem o segundo maior défice orçamental da União Europeia (UE), revelam estatísticas ontem publicadas pelo Eurostat. O Economista Português sintetiza-as no gráfico acima. Pior do que nós só … Chipre.Mesmo a Grécia nos ultrapassou. A mesma fonte indica que a nossa dívida pública continua nos valores de 2012, mas aumentou em relação a 2011.

Será que alguém deu a conhecer ao leitor aqueles tristes números? Será que nos numerosos chats, debates e outras propagandas televisivas alguém explicou a relevância nacional e pessoal daqueles valores? Durante o« carneiro com batatas» – durante a campanha eleitoral durante a qual os modernos caciques facilitaram a ingestão daquele tradicional prato eleitoral, ou do moderno porco assado – , a Coligação traçou-nos um panorama de vitórias económico-financeiras e as oposições cantaram amanhãs radiosos de prosperidade económica e pura alegria espiritual tudo ao alcance de todos os portugueses., só pelo pedir

Com efeito, aqueles valores, que deviam estar no centro do debate político, são ocultados pela classe política e pelos seus agentes distrativos, os mass media pois não agradam aos partidos no poder

  • Não agradam ao PSD/PP porque revelam que o seu governo está longe de ter tido o êxito que anunciam;
  • Não agradam ao PS (nem às esquerdas em geral) porque deitam a terra as suas políticas de prometer redistribuir uma riqueza que não existe – o  «bacalhau a pataco», aliás também prometido pela Coligação.

8 responses to “Depois do Governo P. Coelho, após o Carneiro com Batatas >>> Temos o 2º maior Défice orçamental da UE

  1. O Economista Português agradece e informa que já substituiu; o link inicialmente colocado como fonte, http://ec.europa.eu/eurostat/documents/2995521/7036737/2-21102015-AP-EN.pdf/22806a48-3bb0-4eb0-b641-, foi copiado da barra de ferramentas da Web, depois de ter sido utilizado para a redação do post.

  2. António Pedro Pereira

    Senhor Economista Português:
    Quer fazer o favor de me esclarecer esta sua frase: «A mesma fonte indica que a nossa dívida pública continua nos valores de 2011.»
    Em 2011 não era de cerca de 112% do PIB e em 2014 de cerca de 130%?
    Obrigado
    António Pedro Pereira

  3. O Economista Português agradece a pergunta e informa que em breve tratará da questão da dívida; o leitor, caso pretenda informação mais rápida para o período 20111-2014, tem a possibilidade de enciontrar dados estatísticos, clicando no link da fonte do gráfico do presente post.

  4. António Pedro Pereira

    Senhor Economista Português:
    Por ter consultado o link e os números não baterem certo com a sua frase é que eu fiz a pergunta.
    Valores da dívida:
    (2011) 196 231=111,4%;
    (2012) 212 535=126,2%;
    (2013) 219 649=129,0%;
    (2014) 225 767=130,2%.
    Presumo que estes números sejam expurgados das manigâncias da desorçamentação e que, por isso, sejam comparáveis.
    Se sim, logo, 111,4% é bem diferente de 130,2%.
    APENAS aqui reside a minha legítima dúvida, de um cidadão preocupado mas não formado em Economia ou Finanças.
    Obrigado antecipadamente se puder fazer o favor de, rapidamente, me esclarecer.
    António Pedro Pereira

  5. O Economista Português agradece a correção a um lapso derivada de ter saltado uma coluna dos valores da dívida.

  6. Caro Economista Português,
    O valor do défice de 2014 que apresenta é o corrigido com o falhanço da venda do Novo Banco? E em que é que isso altera a projecção do défice para 2015?
    Com os melhores cumprimentos
    pm

  7. O Economista Português agradeceria a pergunta se ela tivesse sido formulada depois de uma leitura atenta do post e, em caso de dúvida, das fontes nele indicadas.