Debate quinzenal: Bruxelas quer Costa à Banif segundo a Receita de Coelho caçado à BES?

AntónioCostaAssustadoCosta, António meditando friamente nos ultimatos de Bruxelas?

Nota prévia: o Dr. António Costa tinha preparado o debate quinzenal de ontem para desempenhar o mavioso papel de nosso Pai Natal, distribuindo as prendas que granjeou (sobre taxa do IRS, pensões, salário mínimo). As prendas são fracas: desde o pedido de resgate, o nosso PIB perdeu mais de 6% e terá recuperado quando muito metade, uns 3%. Por isso, não há dinheiro para «reverter» mais de metade das perdas. E esta metade pressupõe que as nossas finanças continuam tão desequilibradas como no tempo do Enº Sócrates. Donde o perigo do slogan do «reverter».
As prendas eram fracas mas eram o que eram. O caso Banif baralhou a tática de Costa, e obrigou-o a passar a desentupidor. O Primeiro ministro reagiu depressa – e começou a reagir só depois do Doutor Centeno ter regressado da reunião da Eurozona. Ficámos assim a saber que o caso Banif não constava da folha de cálculo do Doutor Centeno (como por certo não consta o caso Montepio e outros). Até prova em contrário, é legítimo suspeitarmos que foi Bruxelas que ativou o processo burocrático para levar o Banif à falência. Bruxelas quer aplicar ao Dr. Costa o tratamento ministrado ao Dr. Coelho com o caso BES? Isto é: não há Primeiro ministro português que não seja humilhado pela Eurozona mediante o processo expedito e barato de ser obrigado a levar à falência um banco do seu País?
Primeira nota: será que o Primeiro Ministro ficou aterrorizado, perdão, ficou a meditar friamente no que Bruxelas lhe mandou dizer por intermédio do núncio Centeno? Defender um orçamento federal mais forte aposta nos interesses portugueses. Mas talvez seja estratégia a mais, passa ao lado da tática, é irrealista. Veremos se Costa, António aceita o Diktat da Comissão europeia para levar o Banif à falência.  Será para cumprir esse ultimato que o Dr. António Costa, instigado pela Srª D. Catarina Martins, se propõe nomear uma comissão sobre o Dr. Costa Carlos? Para o elevar a bode expiatório  e manter viva a chaga da culpa do PSD no caso Banif? Este cenário tornará mais provável a rendição a Bruxelas, pois um bom bode expiatório reforça estranhamente o nosso ego nacional, mesmo que nos custe à roda de 2% do PIB. Ora com um bom ego voltaremos a dar alegremente o tiro no pé de rebentar com um banco português em vez de o castigar, morigerar ou salvar. O caso Banif será o primeiro test de Costa António.
Segunda nota: lamentavelmente, os próceres dos partidos rotativos, que felizmente nos governam, foram anteontem às televisões perorar sobre o caso Banif;  como peroraram? O leitor leu o prágrafo anterior e já suspeita. Sempre para o nosso bem, ressuscitaram a guerra dos partidos e do passa culpas: em vez de tentarem resolver o problema Banif, procuram identificar o culpado e agravar a crise.  Pela boca do próprio Dr. Passos Coelho, ficámos a saber que ele tem em horror a política partidária quando… se trata de ele próprio salvar a Pátria pela diminuição das despesas públicas. Que possidónio! (a propósito: se o leitor quiser rir-se, vá ao seguinte endereço:
http://www.priberam.pt/dlpo/possid%C3%B3nio)

Os comentários estão fechados.