Alexandre Soares dos Santos (Pingo Doce) regressa à Análise social

 Alexandre Soares dos Santos (Pingo Doce) acusou o primeiro-ministro António Costa de estar a “comprar o eleitorado”, e deu provas: «a redução das horas extra, o corte do número de horas de trabalho ou a descida do custo de uma consulta no hospital de 7,5 euros para sete euros». Curiosamente, na lógica da compra do eleitorado, a maior operação foi a elevação arbitrária do salário mínimo obrigatório. Alexandre Soares dos Santos não a refere. Como não refere a reposição do vencimento dos funcionários públicos.

O leitor lembra-se que o Pingo Doce, quando a questão do salário mínimo era discutida, interveio no debate gabando-se de pagar muito acima do que a lei impunha? As horas extraordinárias ou a baixa do preço das consultas não aumenta o dinheiro disponível para compras nos supermercados Pingo Doce e por isso o independente analista social condena-as, são compras de votos Arruinar a economia nacional aumentando à força o salário mínimo é pelo contrário um ato de benemerência pois aumenta a receita potencial do Pingo Doce; não é compra de voto.  O Sr. Soares dos Santos é contra a «compra do eleitorado» quando não aumenta a probabilidade de compras no Pingo Doce e a favor dela quando aumenta.

A fonte (da qual extraímos a fabulosa fotografia) está a seguir

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/politica/detalhe/soares_dos_santos_acusa_costa_de_estar_a_comprar_o_eleitorado.html

Os comentários estão fechados.