Execução orçamental 2016: o SNS deu a primeira machadada?

Que disse eu, espelho meu?

O Economista Português ouviu ontem o Sr. Ministro da Saúde anunciar na televisão que já tinha dinheiro para as 35 horas no Serviço Nacional de Saúde, cujo défice foi o quádruplo do previsto. Há dias, O Economista Português ouviu o Sr. Ministro das Finanças declarar que as 35 horas seriam realizadas sem aumento da despesa com pessoal. Ou seja: o contrário do que afirmara o seu colega da Saúde. Será lícito concluir que o Sr. Ministro da Saúde não ouviu o Sr. Ministro das Finanças, pois se tivesse ouvido não o desrespeitaria frontalmente? E que o Sr. Ministro das Finanças não ouviu o seu colega da Saúde pois, se tivesse ouvido, tê-lo-ia corrigido, afirmando a sua autoridade? Estão ambos descansados pois ambos ouviram o Sr. Primeiro Ministro que ontem também garantiu não haver o menor risco na execução orçamental?

O leitor julgará.

Os comentários estão fechados.