Bruxelas, Rating e Mercados desconfiam da nossa Solvência

 

O salário mínimo cresce e o salário médio desce, mas acompanha a inflação

Ontem, uma empresa londrina de pesquisa económica , a Caital Economics, declarava que o juro da dívida portuguesa subiria para 8%, um valor incomportável, se o Banco Central Europeu (BCE) parasse com o seu programa  de expansão monetária e, simultaneamente, a DBRS passasse a classificar a dívida portuguesa como lixo: é a única empresa de rating que a qualifica como «digna de investimento», o que permite ao BCE refinanciar a economia portuguesa. A declaração foi proferida depois da Fitch ter baixado a nossa classificação, já depois do governo António Costa, e com as taxas de juro da nossa dívida a crescerem, ainda que de modo irregular.No primeiro leilão de dívida pública, operado pelo atual governo, os juros foram os mais altos desde a saída da crise, mas ainda próximos dos 3%. No final do mês passado, Portugal teve má nota no mecanismo de alerta, relativo a 2015.  O relatório aprofundado sobre a nossa economia é também pessimista.

O mecanismo de alerta qualificou a situação portuguesa em 2015 de preocupante e  por isso merecedora de um relatório aprofundado. Esse relatório aprofundado regista alguns progressos na nossa competitividade internacional  mas as dívidas pública e privada são muito elevadas.A recuperação económica é moderada, os indicadores de exclusão social pioraram e o aumento do salário mínimo pode prejudicar a competitividade.

A Comissão Europeia elabora dois grandes tipos de relatórios sobre o comportamento da economia portuguesa: no quadro do processo por défices excessivos, que trata apenas deste aspeto da economia, e no quadro do mecanismo de alerta, do Semestre Europeu, em que a economia é avaliada em função de uma bateria de indicadores que são supostos retratá-la completamente. O Semestre Europeu destina-se a homogeneizar as políticas económico-financeiras da União Europeia e a compatibilizá-las com as metas fixadas nos tratados.

 

O relatório «aprofundado» sobre a nossa economia está disponível em

http://ec.europa.eu/europe2020/pdf/csr2016/cr2016_portugal_en.pdf

Os comentários estão fechados.