Como destruir um País

O Economista Português  censurou ontem os lóbis do ensino, e o Governo, por não se preocuparem com os interesses dos alunos e das empresas. Um leitor escreveu : «que é isso dos interesses das empresas?»

Estas palavras são um bom exemplo de como estamosn a destruir o nosso pais. Em primeiro lugar o estilo arruaceiro («o que é isso dos interesses das emrpesas»), como se as empresas fossem delinquentes. Depois a oposição entre os interesses de Portugal e os das empresas portuguesas: para o nosso leitor, como para a CGTP-IN,, para o Bloco de Esquerda e quem sabe se para o PS/Renovado o nosso pais irá tanto melhor quanto pior andarem as nossas empresas . Há uns anos, Luís de Camóes, um poeta conhecido, aconselhou os portugueses no último verso d’ Os Lusíadas:: «sem à dita de Aquiles ter inveja». O leitor, pela análise das palavras acima citadas e pela conteplação do nosso PIB por habitante, já verificou o sucesso daquele conselho dovate.

Teremos sempre a solução seguinte: o último a sair, depois de fechar a luz, editará um livro «Como destruir  um país»,  narrando a experiência portuguesa – e convencido que escreveu um best seller mundial.

Os comentários estão fechados.