O FMI ataca-nos > Defendamo-nos, parando o dinheiro dos impostos para o fundo de resolução

 

MauriceObstfield

Maurice Obstfeld , um professor e burocrata americano, que o Brexit transformou em bombeiro incendiário

A estabilidade da banca em Portugal é uma das ameaças à economia mundial assinaladas pelo World Economic Outlook , a publicação do Fundo Monetário Internacional (FMI) que é um dos principais boletins da conjuntura económica mundial.  Como a finança portuguesa deve andar por 0,01% da finança mundial, a recomendação daria vontade de rir, se não significasse o começo de um novo ataque dos nossos credores para nos descredibilizar. Vamos à boleia da Itália (com a qual deveríamos estabelecer desde já uma relação especial), mas a pornográfica crítica mostra bem a confusão que o Brexit instalou no FMI e  na cabeça do  seu economista-chefe, o Doutor  Maurice Obstfeld

É de prever que o nosso país continue a ser atacado pelos seus credores. Devemos continuar um inerme semiprotetorado, obedecendo quando nos mandam destruirmo-nos? Ou devemos defendermo-nos? Para nos defendermos, deveremos anunciar que como agora o FMI nos manda baixar a dívida pública, não haverá um cêntimo do contribuinte para o fundo de resolução bancária que evita à banca a maçada de pagar os seus próprios prejuízos, com a ajuda do FMI.  Se os bancos falirem, outros surgirão, com um passivo limpo. Trata-se de uma jogada tática. O DoutorObstfeld é o bombeiro incendiário e, para nos defendermos dele, temos que o ameaçar com mais incêndios: ele ameaça-nos com a crise financeira, começá-la-emos, limitando-nos para tanto a seguir os conselhos de menor deficit público, que o FMI nos dá. O Estado pelo seu lado continuará a pagar  as suas dívidas.

É duvidoso que o governo português siga esta política financeira: pede penosamente autorização dos nossos credores para prosseguir o suicídio das contas públicas na Caixa Geral de Depósitos. O contrário do que devia fazer – porque infelizmente o nosso governo, e a nossa classe política em geral, têm dificuldade em compreender as regras que regem a economia mundial de hoje.

 

Para ler ou  descarregar o último World Economis Outlook:

http://www.imf.org/external/pubs/ft/weo/2016/01/pdf/text.pdf

Advertisements

Os comentários estão fechados.