Defensora do Aumento do SMO recorre ao Ataque pessoal

 

O Economista Português publicou há dias um post criticando o aumento do Salário Mínimo Obrigatório (SMO), imposto pelo governo às empresas. O texto assentava numa argumentação teórica cerrada e não atacava ninguém pessoalmente. Se o leitor tiver vontade de o (re)ler, basta rolar umpouco.

Alguém, defendendo esse aumento coercitivo em nome de Maria Helena Rato, recorre ao ataque pessoal contra O Economista Português, confessando assim assim a sua falta de argumentos. O texto de terror intelectual é reproduzido a seguir,

Terrorismo

 

Terá sido com argumentação deste jaez que o aumento  do SMO  ganhou terreno entre as esquerdas orçamentais?

Anúncios

Os comentários estão fechados.