Portugal: Quem adjudica Corrompe (Aprenda se quiser Ganhar a Vida)

 

QuandoEu Sair

Não, não é cá

 

A corrupção política em Portugal é original quanto ao modo de concretização. Noutros países menos meditativos e mais atrasados no estudo de Adam Smith, o chefe partidárioem é é corrompido.

Nós temos um sistema de corrupção simples: quem adjudica corrompe. Isto é: quem adjudica recebe os dez por cento. O vereador «dá» as licenças para o PDM? O vereador recebe os dez por cento. O Ministro «dá» o aeroporto»? O ministro recebe os dez por cento pelo aeroporto. E assim sucessivamente. O sistema não tem fim.

Com esses dez por cento o ajudicante  (vereador, ministro, modesto funcionário do licenciamento económico etc):

  • Paga os alfinetes;
  • Paga a mulher (a minha esposa, como ele diz à rádio local) e os filhos;
  • Dá ao partido os €€ necessários para não ser substituído por outro cidadão que, cumulativamente, ganhe as eleições e dê mais ao partido.

Outros países, menos meditativos e menos lidos em Adam Smith, conferem ao chefe do partido parlamentar a distribuição global dos dez por cento. Estes são sistemas centralizados. Era o sistema italiano. Foi preso um, foram presos todos. Cá não é assim. Preso um, subsistem mais novecentos mil. Na hipótese improvável de o o licenciado em engenharia ser condenado a prisão, subsistem mais de novecentos mil cidadãos livres a cobrarem os seus dez por cento.

Nós temos um sistema de corrupção de mercado. Corruptor que saca mais ao mercado, sobrevive!!! O corruptor tem que triangular entre três mercados: eleitoral, partidário e o dez por cento. O esquema exige talento na execução e é respeitado religiosamente por todos os partidos políticos constitucionais. O cidadão que cobra os dez por cento acima dos dez por cento é eleito e adjudica.

O Economista Português pede desculpa ao leitor deste maçador discurso. A sua desculpa é singela: por certo o leitor não aplicou a teoria económica pura ao impuro fenómeno da nossa corrupçáo.

Ah Como é original a corrupção política em Portugal …

Anúncios

Os comentários estão fechados.