Há Corrupção Política nos Estados Unidos?

LeitorEUACorrupção

Um leitor contestou a tese d’ O Economista Português: não há corrupção política nos Estados Unidos, só há casos avulsos de corrupção.

E louva-se num site que O Economista Português disponibiliza para os seus leitores:

https://www.thoughtco.com/what-is-a-super-pac-3367928

Este site descreve a ação dos SuperPac, o último modelo dos Political Action Committees (PAC): estes comités são a organização que permite recolher fundos para as campanhas eleitorais naquele país.

Se o leitor leu o site, escusa de gastar o seu tempo prosseguindo a leitura do presente post: já terá visto que o nosso correspondente não tem sombra de razão. Com efeito, aquele site não usa a palavra corrupção e não descreve os Estadios Unidos como corruptos. O leitor nosso correspondente tem o direito de não gostar dos Estados Unidos mas ir ao ponto de citar uma página objetiva em favor das suas teses subjetivas …

Vamos ao fundo da questão. Há uma diferença abissal entre dar dinheiro para uma campanha eleitoral e comprar a um político uma decisão administrativa ilegal. Os PAC são discutidos mas são perfeitamente legais. A lei portuguesa, aliás, é mais permissiva do que a dos Estados Unidos, no que toca a doações para campanhas eleitorais e no financiamento dos partidos políticos. Mas isto é outra história. O Economista Português não escreveu sobre financiamento de campanhas eleitorais: escreveu sobre a compra e venda de decisões políticas. Para o nosso correspondente, é tudo igual: legal e ilegal, campanha legal e corrupção ilegal.

Nos Estados Unidos há políticos (e empresários) corruptos mas são casos resolvidos pelos tribunais, como o parricídio em Portugal. Não há um fenómeno de corrupção política nos Estados Unidos. Há apenas alguns políticos corruptos. Em Portugal há um problema político da corrupção dos políticos.

Anúncios

Os comentários estão fechados.