A Nossa Corrupção Mantém-se Estável (Transparency)

A Nossa Corrupção Mantém-se Estável (Transparency)

Transparency2018Fonte: https://www.transparency.org Notas: Quanto mais alta é a nota, menor é a corrupção. São dadas as médias aritméticas dos grupos de países. A erro padrão do nosso país é superior a 2,5 pelo que as variações registadas são desprovidas de significado estatístico. Países europeus percecionados como menos corruptos do que Portugal: Nova Zelândia, Dinamarca, Finlândia, Noruega, Suíça, Suécia, Luxemburgo, Holanda, Inglaterra, Alemanha, Islândia, Áustria, Bélgica, Irlanda, Estónia e França (por ordem decrescente). Países europeus percecionados como mais corruptos do que Portugal: Eslovénia, Polónia, Lituânia, Letónia, Chipre, República Checa, Espanha, Malta, Itália, Eslováquia, Croácia,  Grécia, Roménia, Hungria (por ordem decrescente).

 

A nossa corrupção manteve-se estável nos últimos seis anos, a avaliar pelo modo como é percecionada pelos que respondem aos inquéritos da Transparency internacional, a ONG mais reputada no meio. É o que mostra o gráfico acima.

Ora nos últimos seis anos houve uma mediatização da combate à corrupção. Esse combate valeu zero, a avaliar pelos dados da Transparency. Se queremos acabar com a corrupção, temos que passar a combatê-la, em vez de repetirmos os rituais vigentes.

A corrupção é um fenómeno ilegal e por isso a sua medida direta é impossível. Sabemos quantos cidadãos morrem num dado espaço e num dado período de tempo mas ignoramos quantos morreram de morte natural. Mas as sondagens aleateórias de opinião, como as que temos estado a citar, dizem-nos o que nos interessa sobre a corrupção. Com efeito, se os nossos parceiros culturais, demográficos, económicos e militares nos vêem como corruptos , então para todos os efeitos práticos somos corruptos. Não repitamos a linda figura do Manel. O leitor conhece a história do Manel e da mãe dele. O Manel jurou bandeira e desfilou na parada. O Manel ia de passo trocado. Alguém observou isso à mãe dele. Ela respondeu: «O meu Manel ia muito bem, os outros todos é que iam de passo trocado». A corrupção percecionada é um second best aceite em todo o mundo não corrupto. Para os efeitos do presente texto, consideramos a corrupção real idêntica à medida pela Transparency (ou pelo World Economic Forum, cujos dados não usamos aqui mas que são congruentes com os da Transparency).

O nosso grau de corrupção está mais afastado dos países ricos do que dos mais pobres , que com algumas exceções são também os de maior corrupção. O gráfico acima, mostra isso.

A nossa vantagem em relação aos país europeus mais corruptos diminui, pois estes combatem a corrupção com eficácia, ao contrário de nós.

Entre os país europeus mais corruptos do que nós continuam a figurar a Espanha e a Itália, além da Grécia.

Anúncios

Os comentários estão fechados.