Brexit: Pedro Silva Pereira propõe adiamento para negociar fronteiras

 

 

BrexitMattAdia

«Departamento do Brexit MARÇO “Não estamos a mudar a data do Brexit mas podemos acrescentar noventa dias ao mês de fevereiro”» Matt, no  Sunday Telegraph de ontem) . 

O eurodeputado socialista  Pedro Silva Pereira deu sexta-feira passada uma curta entrevista àTSFna qual afirmou ser «inevitável» o adiamento do Brexit devido às «contradições insanáveis» que rodeiam as presentes negociações. Silva Pereira afirma que a defesa do Brexit é contraditória: «Não é possível sair da União Aduaneira, do Mercado Único, rejeitar a livre circulação de pessoas e de bens e depois não querer controlos nas fronteiras. É evidente que algum controlo tem que haver. A começar na fronteira da Irlanda, mas também no Canal da Mancha, entre o Reino Unido e a União Europeia». Esta afirmação de puro bom-senso é indispensável (e talvez seja suficiente) para desbloquear o atual impasse. Querer uma separação sem fronteiras é sonhar que a porta está ao mesmo tempo aberta e fechada. Mas será possível regulamentar fronteiras que respeitem as liberdades básicas. O adiamento é inevitável para que essas liberdades transfronteirições sejam regulados.

Esta entrevista é uma verdadeira pedrada no charco das negociações do Brexit: ou imos o tic-tac da bomba, sabemos quando ela explodirá (a 29 do mês que vem dia em que parará o nosso comércio com a Inglaterra), sabemos que nós portugueses estaremos entre as principais vítimas da explosão e não agimos para nos defender.

Pedro Silva Pereira aborda a questão com lucidez pois esclarece que o adiamento serve para a condução de complexas negociações, que identifica. Segundo O Economista Português é perigosa a ilusão que a Inglaterra sairá da União Europeia (UE) mas conservará o direito às «quatro liberdades». Duvidamos que esta ilusão tenha sido inventada pela Srª May e suspeitamos que foi fomentada, se não imposta, pelos negociadores de Bruxelas. Para o caso, é irrelevante a sua origem e parece ser de boa guerra atribuir tão nefasta ideia à pérfida Albion (para dar um impulso às negociações=.

Adiar por adiar é perigoso pois, se o adiam,ento termina sem acordo, a reação negativa será pior. Por isso criticámos o adiamento sem substância definida. Mas a proposta do eurodeputado socialista tem um conteúdo específico e realista que impede um novo fracasso (o do adiamento) de ter consequências mais gravosas do que o primeiro, o da data inicial: consiste em organizar uma zona de comércio livre entre o Reino Unido e UE pois esta fórmula parece ser a única que satisfaz os desejos de ambas as partes.

Anúncios

Os comentários estão fechados.